Anúncio-Google-Cabeçalho

terça-feira, 17 de março de 2015

FMI preocupado com inércia no mercado de trabalho em Portugal

O chefe da missão do Fundo Monetário Internacional (FMI), Subir Lall, mostrou-se preocupado com a recuperação do mercado de trabalho português. 

Embora tenha sublinhado a tendência de descida da taxa de desemprego, Subir Lall referiu que a recuperação continua a não absorver uma fatia importante das pessoas sem trabalho, principalmente quem tem menos qualificações. 

 "As qualificações dos trabalhadores estão a melhorar, mas a percentagem de pouco qualificados é ainda muito elevada", explicou esta terça-feira o representante do FMI, enquanto mostrava um gráfico com a taxa de desemprego oficial e o número de subempregados e desencorajados.

 "Os trabalhadores menos qualificados enfrentam enormes desafios", disse Subir Lall na conferência "Portugal After the Adjustment Program: What are the Right Policy Priorities?", que está a decorrer em Lisboa, na Ordem dos Economistas. 

 No comunicado publicado hoje sobre o Artigo IV, o Fundo já tinha deixado o mesmo aviso. "Apesar das qualificações do mercado de trabalho continuarem a melhorar rapidamente em linha com tendências anteriores, o crescimento da economia no médio prazo deverá fixar-se apenas em 1,3%", pode ler-se no documento. 

 "A este ritmo moderado, uma fatia significativa da inércia do mercado de trabalho não será absorvida pela criação de emprego, principalmente o segmento dos menos qualificados. Em vez disso, os trabalhadores vão provavelmente perder a sua ligação ao mercado de trabalho e desistir de procurar emprego ou emigrar para procurar trabalho noutros países.


Para visitar a fonte da informação, clique aqui

Sem comentários:

Enviar um comentário