Anúncio-Google-Cabeçalho

quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

Bolsas depois do Natal: Japão em máximos, China em mínimos, Europa sem negociação

Os mercados estão esta quinta-feira sem grandes movimentações. As bolsas europeias estão encerradas devido ao Natal. A sessão viveu-se de ganhos expressivos no Japão e de recuos na China.

O dia 26 de Dezembro, que se segue aos festejos do Natal, está a ser vivido com extremos. As bolsas europeias, como habitualmente, encerraram mas as praças do Japão viveram valores não registados há cinco anos. Pelo contrário, a China caiu para mínimos de quatro meses.
 
O índice bolsista japonês Nikkei encerrou com uma valorização de 1,03% para os 16.174,44 pontos, somando valor pelo sétimo dia consecutivo. Está na pontuação mais elevada desde Novembro de 2007. Já o também nipónico Topix somou 1,68% para os 1.279,34 pontos, registando um máximo desde Agosto de 2008.
 
A justificação para o comportamento positivo das bolsas do Japão passa pela descida do iene, o que anima as empresas exportadoras. Segundo os analistas ouvidos pela Bloomberg, a queda da moeda nipónica está relacionada com a expectativa de manutenção de estímulos monetários no país - e pelo facto de os investidores poderem estar a fugir dos activos norte-americanos, agora que a Reserva Federal está a diminuir a dimensão dos estímulos à maior economia do mund
 
A Toyota e a Mazda, fabricantes automóveis japonesas com uma forte componente de venda para o exterior, marcaram subidas expressivas.
 
As acções japonesas ajudaram ao verde do índice asiático. O MSCI Ásia Pacífico somou 0,4% para 139,74 ponto, estando no maior ciclo de ganhos desde Setembro, de acordo com a Bloomberg.
 
Pelo contrário, a China está em mínimos de quatro meses. O índice de Xangai deslizou 1,2%, num dia em que a agência de notícias chinesa indicou que o país vai crescer 7,6% em 2013, que compara com a expectativa governamental de 7,5%.
 
As bolsas da Austrália, Nova Zelândia e Hong Kong estiveram encerradas, o que também se verifica na Europa. A Bolsa de Lisboa é uma das praças que não negoceia na sessão de quinta-feira, 26 de Dezembro, depois de ter negociado durante meia sessão no dia 24. Os índices norte-americanos Dow Jones e S&P 500 terminaram a sessão de dia 24 em máximos históricos.
 
Além do mercado accionista, o dia não está a ser muito animado nem no que diz respeito ao câmbio nem ao de matérias-primas. O euro segue a subir 0,9% face ao dólar, estando a cotar nos 1,3693 dólares, mantendo-se sem grandes oscilações, como tem acontecido nas últimas três semanas.
 
Já o petróleo segue a negociar com uma tendência mista. O barril de Brent do Mar do Norte, que serve de referência para as importações nacionais, segue a cair 0,22% para os 111,65 dólares, na Bolsa de Londres. Em Nova Iorque, o crude avança 0,04% para os 99,26 dólares.

Para visitar a fonte da informação clique aqui

Sem comentários:

Enviar um comentário